Debate com crianças é atração na Vila Nova União

O CineB trouxe, mais uma vez, uma novidade para a sessão da última sexta-feira, 1/12, que aconteceu na ONG Procedu, na Zona Leste de São Paulo: um debate entre crianças. Os participantes analisaram o filme “Detetives do Prédio Azul”, de André Pellenz.

Ariane Souza (13 anos), Ana Karoline Costa (7 anos), Celina Roseno (10 anos), Erisvânio Júnior (10 anos), Manoele da Cruz (10 anos), Vitória Educarda das Flores (7 anos), Murilo Oscar (6 anos) e Igor Alves (8 anos), todos moradores do bairro União da Vila Nova foram os protagonistas da sessão que aconteceu na última sexta-feira, 1/12, na ONG Procedu – Projeto Cultural Educacional Novo Pantanal. O grupo participou, após a exibição do filme Detetives do Pédio Azul (D.P.A.), de André Pellenz, de um debate sobre o filme. É a primeira vez que o CineB organiza sessões envolvendo as crianças em debates – a primeira sessão aconteceu no Grajaú, no dia 25/11. A plateia, com cerca de 200 pessoas, formada em grande parte por crianças das famílias que frequentam o espaço, participou do debate fazendo questionamentos aos oito integrantes da mesa debatedora sobre o nome dos personagens e situações que ocorreram no filme. A cada resposta certa, o público aplaudia o debatedor, transformando a atividade num gostoso bate-papo sobre o filme.

Na abertura oficial, Zé Mário, representando o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Cidálio Vieira, coordenador do CineB e Everton Marcílio, gerente no Procedu. Ao fundo, comunidade lota espaço para assistir “Detetives do Prédio Azul”.

O longa-metragem “Detetives do Prédio Azul”, é uma versão de uma série exibida na TV Cultura. Os protagonistas são confrontados com o maior caso de suas vidas: salvar o próprio edifício da destruição. Pippo, Sol e Bento se infiltram na festa de Dona Leocádia, a terrível síndica. Lá eles presenciam um crime “mágico”, que condena o Prédio Azul a uma demolição de emergência. Para completar, a única testemunha – o quadro falante da Vó Berta – desaparece. Para resolver o caso, os detetives contam com a ajuda do porteiro Severino, que empresta sua Kombi azul para ser a sede de investigação. A aventura fica completa quando Tom, Mila e Capim, fundadores do clubinho original, entram em cena para ajudar no caso.

Tanto público como os debatedores conheciam personagens e situações do longa. Igor, por exemplo, comprou o vídeo e assistiu várias vezes o filme em casa. Bianca Isídio da Silva (10 anos), que fez o papel, no debate, da assistente de produção, levando o microfone à pessoas que faziam perguntas, contou que assiste “quase todo dia o seriado”.

E não foram somente as crianças que adoraram a sessão do CineB. A cearense Gorete Alves Xavier Santos, 55 anos, moradora do bairro há quase 30 anos, é fã do seriado. “Eu asisto todas as noites, antes do jornal”, revela. Acompanhada pela filha, ela conta que nunca foi a uma sala de cinema. “Eu não podia perder essa oportunidade. A sessão foi maravilhosa e o debate, ótimo”, confessou, deslumbrada com a sessão.

Para Zé Mario, funcionário do Sindicato dos Bancários e representante da União da Vila Nova no Conselho Participativo da cidade de São Paulo, a comunidade está sempre prestigiando o projeto: “é sempre casa cheia, as crianças gostam, os pais também. CineB é um espaço democrático onde todos participam sem nenhum custo e que faz esse papel da socialização do cinema brasileiro”, completa.

Segundo o gerente do Serviço de Assistência Social à Família (SASF) do Procedu, Everton Marcílio, “cada vez que é anunciado que o CineB vem para União de Vila Nova, os moradores ficam na maior expectativa porque é um projeto muito bom que tem colaborado com nosso trabalho e trazido muita cultura e cidadania para nosso bairro”, elogia.

Valter Passarinho, ex-militante sindical, que atua na ONG Nova União da Arte (NUA),  acompanhou pela primeira vez uma sessão e elogiou o projeto: “é importante trazer o cinema e o debate, discutindo e fazendo a formação de público. Eu comparo o trabalho do CineB ao Teatro do Oprimido, de Augusto Boal, pois traz um contexto social muito forte. As crianças sendo protagonistas em um debate, fazendo parte da mesa, isso vai marcar suas vidas. Vai passar 20, 30, 40 anos e elas vão lembrar disso”, destaca.

Cidálio Vieira Santos, coordenador do CineB, comentou, no encerramento da atividade, que diante do grande sucesso que tem sido as sessões, ele pretende “sentar com a equipe do Procedu para organizar uma exibição na rua, ao ar livre, em frente à entidade,  com uma tela maior. Assim podemos atender mais pessoas”, finaliza.

O CineB é um circuito alternativo de exibição que, desde 2007, leva cinema brasileiro para várias regiões da cidade. O projeto, realizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e produzido pela Brazucah Produções, já contabiliza um público superior a 60 mil pessoas em mais de 480 sessões gratuitas em comunidades e universidades de São Paulo. Já foram exibidos na tela do CINEB mais de 116 longas metragens e 73 curtas metragens.

CineB Na União Da Vila Nova

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

2 comments

  1. Somos Gratos pela Rica Parceria que temos com o CINEB , sempre um prazer poder trazer o CINEB PARA nossa Comunidade, podemos contemplar a Emoção de cada Família quando anunciamos o CINEB, expectativas e Muita Alegria das Famílias.
    CINEB é Cultura um projeto que Deve crescer.

  2. Parabéns à equipe do CINEB por proporcionar cultura às crianças, jovens e adultos da nossa comunidade em União de Vila Nova, que muitas vezes não tem acesso a esse tipo de arte.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *