Secretária de Arns e diretor de “Coragem” no CineB Solar

O jornalista Ricardo Carvalho, diretor do documentário “Coragem – As Muitas Vidas do Cardeal Paulo Evaristo Arns” e a secretária do cardeal, Maria Ângela Borsoi participaram, no último sábado, 04/08, de um debate na Zonal Sul da capital.

A paróquia  foi o sexto local  a receber o filme “Coragem – As Muitas Vidas do Cardeal Paulo Evaristo Arns”.

O CineB Solar procura, a cada sessão, levar uma novidade para o público que acompanha o projeto. São atividades culturais, sorteios e debates entre outras atividades. No último sábado, 04/08, no Salão Paroquial da Igreja Santo Afonso Ligório, na Água Funda, região Sul de São Paulo, na exibição do documentário “Coragem – As muitas Vidas do Cardeal Paulo Evaristo Arns”, esteve na sessão Maria Ângela Borsoi, secretária pessoal do cardeal por 40 anos, que trabalhou com Dom Paulo desde o tempo em que ele era pároco na Zona Norte de São Paulo.

Maria Ângela Borsoi e Ricardo Carvalho conhecem a van do CineB Solar.

Também participou da sessão o jornalista Ricardo Carvalho, diretor do documentário e biógrafo do cardeal Arns. O filme, exibido pela sexta vez na temporada 2018 do CineB Solar, retrata a história de um dos mais importantes cardeais brasileiros do século 20. Dom Paulo foi um intransigente defensor dos direitos humanos e enfrentou como poucos o regime militar. Co-organizou um dos mais importantes documentos sobre a ditadura, ainda no período militar: o projeto Brasil, Nunca Mais, que virou um livro que denunciou milhares de torturas, desaparecimentos e assassinatos. O cardeal Arns também organizou os pobres da cidade de São Paulo para que pudessem reivindicar os seus direitos fundamentais como educação, saúde, habitação e emprego por meio da formação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs).

Isabel Mendes dos Santos, presidente da Associação dos Moradores Amigos da Água Funda (AMAAF), que ajudou a organizar a sessão, lembrou que foi a terceira vez que um diretor de filme esteve na comunidade. Nas duas outras vezes, Newton Cannito que dirigiu “Magal e os Formigas”, e David Schürmman diretor de “Pequeno Segredo” participaram de debates. “Para nós é motivo de alegria essa participação e o filme de hoje nos emociona muito. […] Eu vivi com as comunidades eclesiais de base, que eram a menina dos olhos de Dom Paulo […] e lembrar de tudo aquilo que ele nos ensinou nos dá força para que a gente continue sua missão”, refletiu.

Carvalho, Ângela, Santos, Isabel e o padre Benedito Vicente na abertura oficial do projeto.

Isabel destacou ainda, a importante presença da secretária do arcebispo. “Estamos aqui para homenagear a dona Ângela, que presenciou, vivenciou e também amou esse modelo de igreja que nos faz muita falta hoje”, finaliza.

Ângela acompanhou toda a sessão e participou do debate ao final da exibição do filme. Conheceu, ao lado do diretor Carvalho, a van do projeto em que funciona o sistema de captação da energia solar que faz funcionar o projetor e o sistema de som. “Entrei em contato com o projeto ontem [sexta, 03/08] e estou encantada com o bem que vocês fazem com o nosso povo, o objeto do amor de Dom Paulo, um santo que está com Deus, protegendo, olhando pelo nosso Brasil. Eu estou encantada, emocionada, vou falar muito desse projeto daqui para a frente”, completou. Carvalho comentou conhecer o CineB apenas de ouvir falar.“É uma experiência muito importante para o cinema estar nas periferias e alcançar o povo que não tem acesso a essa mensagem. Acho um trabalho estupendo, e fico muito honrado de estar aqui como diretor do filme de Dom Paulo”, falou.

O diretor Carvalho, no debate, conversou por um longo tempo com o público.

Segundo o pároco Benedito Vicente o filme resgata, não só a memória mas tudo que foi a formação da igreja naquela época. “Convivi com tudo isso naquela época de estudante e me marcou muito, é a base de meu sacerdócio. Participei de missas e caminhadas. As comunidades eclesiais de base, e tudo aquilo que ele formou e conscientizou, sobretudo nós os padres da época para assumir essa dimensão da igreja como uma igreja em favor dos pobres, uma libertação integral e resgatar a dignidade humana e espiritual do povo.

Durante o debate, tanto Carvalho quanto Ângela responderam questionamentos do público sobre o trabalho da igreja nos anos 1970 até os anos 1990 e os dias atuais. Enquanto o público preenchia o questionário de avaliação da sessão, uma novidade. Foram distribuídos vale-brindes por baixo das capas de proteção das cadeiras além do já tradicional sorteio de camisetas.

Nas cadeiras estavam escondidos brindes para o público.

O CineB Solar é um circuito alternativo de exibição que, desde 2007, leva cinema brasileiro para várias regiões da cidade. O projeto, que agora passa a se chamar CineB Solar quando estiver nas comunidades, já contabiliza um público superior a 60 mil pessoas em mais de 480 sessões gratuitas em comunidades, escolas e universidades de São Paulo. Já foram exibidos na tela do CineB mais de 116 longas metragens e 73 curtas metragens.

CineB Solar Na Água Funda

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

One comment

  1. Que privilégio saber que há destas iniciativas VALORIZANDO VIDA com SENTIDO ESPIRITUAL e que valorizam a verdade e ética dos que buscam manter a chama crística viva ,em exemplo de militância no SOCIAL e de JUSTIÇA para todos os tipos de carências de nossos tempos que se veste de possibilidades tão estranhas como a horrenda cara do fascismo!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *