CineB Solar ao ar livre no Largo do Rosário

O CineB Solar esteve, no último sábado, 9/11, no Largo do Rosário, Centro Histórico da Penha, Zona Leste da capital, para exibir o documentário “Fios de Alta Tensão”, de Sérgio GAG, que participou de um bate-papo com o público ao final da exibição.

O público conheceu como funciona a van que capta e armazena energia solar utilizada nas exibições

Foi a primeira vez, em 12 anos de CineB, que o projeto esteve no Centro Histórico do bairro da Penha, ali no belíssimo Largo do Rosário, em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, inaugurada em 1802. O mais perto que o projeto chegou da Penha foi no bairro vizinho do Cangaíba, em outros três momentos.

No centro comercial do bairro da Penha, numa área tombada pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Compresp), fica a Casa da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos da Penha de França, que tem cerca de 200 anos, e é ligada à Igreja Nossa Senhora do Rosário, construída por escravos que a fizeram de costas a outra igreja, a de Nossa Senhora da Penha, em sinal de protesto, justamente porque os negros eram proibidos de entrar ali. A praça em frente à igreja Nossa Senhora do Rosário se transformou num belo espaço de exibição de cinema ao ar livre.

Samuel Antenor, Cidálio Vieira Santos e Sérgio GAG, na abertura da sessão

A sessão foi organizada pelo jornalista e ativista cultural Samuel Antenor, que vem atuando em projetos ligados ao patrimônio histórico do bairro. Ele reuniu amigos, entidades e outros ativistas culturais da região para ajudar na divulgação e participar do evento que reuniu um público entusiasmado com a possibilidade do espaço se tornar palco de exibições de filmes.

O documentário “Fios de Alta Tensão” que aborda o tema sociedade e cultura, comportamento e identidade no Brasil foi a escolha ideal para trazer o debate para um espaço que vem buscando sua identidade e resgatando sua história. O filme de Sérgio GAG trata das contradições históricas e contemporâneas relacionadas a identidade através do cabelo. “O cabelo fala muito a respeito de cada um de nós. Com essa convicção fomos a Belém do Pará, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo conversar com pessoas que representam a heterogênea população brasileira. Uma amostra que valoriza a diversidade de gênero, étnica, etária, geográfica e socioeconômica, encontrando afinidades onde não se espera e trabalhando em paralelo as afirmações das identidades de grupo e individuais”, explicou nos materiais de divulgação do filme.

Cinema na praça, com jeito de interior

GAG acompanhou a sessão desde o início para conferir a reação das pessoas ao filme, que vai ser lançando no circuito comercial no início de 2020, mas já teve três pré-estreias no CineB: uma no Auditório Amarelo, outra na EE Herbert Baldus e a terceira, na Penha. “O Largo da Igreja do Rosário é um lugar histórico, muito bonito, que respira tradição, respira cultura, então para mim é uma honra estar aqui com esse filme”, destaca.

Um público bem eclético, vindo de vários lugares, acompanhou a exibição e participou do bate-papo com GAG, que respondeu a questões relativas ao processo de gravação e o trabalho com cinema. O Coordenador do CineB Solar, Cidálio Vieira Santos, também falou sobre o projeto que circula pela cidade de São Paulo e região metropolitana desde 2007.

O bate-papo sobre o filme continuou por um bom tempo. Na foto, Marta de Souza e seu cão, Sérgio e Cidálio

A sessão contou com a presença de moradores de rua assistidos pelo Centro de Acolhida do Jaçanã, na Zona Norte, que foram até a sessão por sugestão da assistente social Marta de Souza, moradora da Penha. Ela viu o material de divulgação e convidou o grupo. “É um projeto tão bacana, e falou sobre cabelo. A mulher tem muitas dúvidas sobre cabelo e aceitação. Sou negra e demorei para usar um turbante, para me aceitar, então é bom ver um documentário como esse”, explica Marta.

Rodrigo de Souza Moreira, programador de sistemas e morador da Penha há cerca de 30 anos estava na sessão acompanhado da esposa e das duas filhas. Ele contou que está sempre ligado no que acontece no bairro pelas redes sociais ou acompanhando as atividades do Centro Cultural da Penha, que fica ao lado da praça. “Demos uma folga na agenda e viemos assistir. O filme foi maravilhoso, tenho certeza que vai fazer sucesso”, elogiou. Já Cléssio Bachini, morador do Tatuapé, que trabalha com aplicativos e sites, considera a iniciativa do cinema ao ar livre perfeito para para o Largo do Rosário. “É incrível essa questão de popularizar o cinema, de trazer as pessoas. Principalmente nesse momento em que a cultura está sendo ultrajada, agredida, trazer cultura para os espaços populares é uma coisa essencial”, avalia.

Ao final da sessão, Antenor dizia-se satisfeito com o evento. “Foi o primeiro passo da retomada de uma atividade na praça. O cinema tem essa magia de levar a gente para um outro lugar e colocar a gente em contato com outras pessoas. Espero ser a primeira de muitas sessões aqui na Penha”, comemora.

Público reunido para a foto final. Até a próxima sessão!

Elani Tabosa do Nascimento, bibliotecária e moradora da Penha, acompanha o projeto há vários anos – ex-coordenadora da biblioteca do Espaço Alana, no Jardim Pantanal, Zona Leste, onde o CineB esteve algumas vezes – foi a responsável por aproximar Antenor do CineB Solar. Ela lembra que o bairro teve muitos cinemas, “inclusive um ao ar livre, chamado Chaparral, que eu, quando era adolescente, não tive a oportunidade de frequentar porque era muito caro. O Largo do Rosário é bem convidativo, aconchegante, por isso quando cheguei aqui e sentei, meu coração encheu de felicidade, por ver uma sessão ao ar livre, olhando as árvores, o entorno, e assistindo um bom filme, que traz um debate bastante atual”, finaliza.

SOBRE O CINEB SOLAR
O CineB Solar é um circuito itinerante de cinema realizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e pela Brazucah Produções. Desde 2007, o já atingiu um público superior a 70 mil espectadores em mais de 550 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. A iniciativa busca democratizar o acesso ao cinema nacional e divulgar os filmes produzidos no Brasil. Já foram exibidos na tela do CineB mais de 130 longas-metragens e 80 curtas-metragens, além da realização de pré-estreias exclusivas.

Texto e fotos: Carlos Rizzo

CineB Solar No Largo Do Rosário

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

One comment

  1. Foi uma experiência incrível o cinema ao ar livre no Largo do Rosário. O Cine B Solar está de parabéns, por toda a atenção e qualidade do que foi oferecido ao público. As pessoas gostaram muito, ficaram encantadas e querem ter a oportunidade de repetir em breve. Na Penha, foi uma redescoberta, que encheu a todos os que participaram de alegria, pelo filme, pelo bate-papo, pela pipoca e pela ideia de resgate do convívio social nos espaços públicos. Que venham outras sessões, no Rosário e em outras praças e bairros!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *