Butantã vê curtas de direitos humanos

Moradores do Butantã acompanharam uma sessão de curtas-metragens sobre direitos humanos na última quarta-feira, 11/12, na Emef Roberto Mange, na Zona Oeste da capital.

O coordenador do Cine B, Cidálio Vieira Santos pergunta ao público nomes de filmes brasileiros

O CineB Solar esteve, na última quarta-feira, 11/12, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Roberto Mange, localizada no Jardim Maria Luiza, região do Butantã, Zona Oeste de São Paulo, para participar da Semana de Direitos Humanos, organizada pelos movimentos sociais da região. Aconteceram durante toda a semana ações culturais como debates, teatro e uma sessão de cinema no pátio da Emef para usuários de medidas socioeducativas e população de rua.

Foram exibidos, seis curta-metragens com a temática dos direitos humanos: Dono de Casa, Bicho do Mato, O Filho do Vizinho, Procura-se, Meu Amigo Nietszche e Bá (veja a sinopse dos filmes no final da matéria). Para a assistente social Flávia Santos Rodrigues, supervisora do Centro Regional de Assistência Social (Creas) Butantã, o cinema é muito importante na vida das pessoas e “para os usuários da assistência social, principalmente as pessoas em situação de rua, é simbólico, porque a população de rua é vista como invisível ou ela não é vista, não é valorizada, nem respeitada, e isso é um momento histórico no Butantã, que é um território de resistência e luta”, reflete.

Elizabeth Schulz, Jefferson Fléming e Cidálio Santos na abertura da sessão

Mesmo a chuva intensa que caiu na região não atrapalhou o público que foi assistir os curta-metragens e, ao final da sessão, escolheu o melhor filme por meio de votação. O vencedor foi “Procura-se” e “Meu Amgio Nietszche”, com dez votos cada. Para a estudante Evelyn Mariane de Oliveira, fã de blockbusters como “Os Vingadores”, a sessão foi muito agradável. Já Patrícia Tatiara de Sousa Ferro, mãe de três meninas e grávida de cinco meses de “Sara” elogiou os curtas que “falavam das crianças, a rotina delas. Hoje eu sou mãe, eu quero o melhor para os meus filhos”.

O técnico do Centro Social Santo Dias, Jefferson de Assis Fléming destacou que o público presente frequenta o Centro Temporário de Acolhimento (CTA) e o Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas) e está apartado de participar de atividades culturais. “Com o CineB aqui, tentamos realizar um pouco dessa demanda, de estar próximo ao cinema, próximo dessas linguagens artísticas”, explica.

Houve empate no voto do público entre os filmes Procura-se e Meu Amigo Nietzsche

A sessão teve o apoio da Emef, que abriu a escola para que o CineB Solar pudesse exibir os filmes e apoio de moradores locais, como Elisabete Schulz. Sidney Gomes Leal, coordenador pedagógico, explica que o diretor abraçou a ideia de organizar a sessão. Para ele a escola “tem de fato que ser aberta para todas as necessidades que a comunidade apresenta”, finaliza.

CONHEÇA OS CURTAS
Dono de Casa (15’33”)
Um menino pede para brincar com as meninas. No início ele é dono de uma oficina, mas sem carros para consertar, ele precisa encontrar outro papel na brincadeira.
Bicho do Mato (8’)
Jussara e sua família perdem tudo o que tinham quando suas terras são atingidas por chuvas intensas e violentas. Sem ter onde viver, eles deixam o campo para morar na cidade grande, uma mudança que trará muitas dificuldades para todos, em especial para Jussara que precisará se adaptar a um mundo diferente do que ela conhecia.
O Filho do Vizinho (7’09’’)
Pela janela do seu quarto, Ronaldinho olha maravilhado as aventuras e peripécias de um garoto que é chamado de várias formas pela vizinhança que fica enlouquecida com ele. Dos muitos nomes, Ronaldinho o chama de o filho do vizinho.
Procura-se (15’)
Camile está determinada a encontrar seu cachorro bolinha, mas para encontrá-lo precisará viver a maior aventura da sua vida.
Meu Amigo Nietzsche (15’)
Um improvável encontro é o começo de uma violenta revolução dentro da mente de um garoto, de uma família e de uma sociedade.
(14’)
O menino Bruno é obrigado a lidar com as mudanças que ocorrem em sua vida quando sua “Bá” (de Batchan, avó em japonês) é trazida para morar em sua casa.

SOBRE O CINEB SOLAR
O CineB Solar é um circuito itinerante de cinema realizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e pela Brazucah Produções. Desde 2007, o já atingiu um público superior a 70 mil espectadores em mais de 550 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. A iniciativa busca democratizar o acesso ao cinema nacional e divulgar os filmes produzidos no Brasil. Já foram exibidos na tela do CineB mais de 130 longas-metragens e 80 curtas-metragens, além da realização de pré-estreias exclusivas.

CineB No Jardim Maria Luiza

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

2 comments

  1. Importantíssima iniciativa e parceria entre o serviço social e educação.
    Vida longa ao Cine B.
    Vida longa ao serviço social.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *