Projeto retoma sessões com CineB Solar na Janela

CineB Solar retomou as atividades do projeto depois de uma pausa de mais de 5 meses e reuniu famílias nas janelas do Condomínio João Cândido, na cidade de Taboão da Serra, em uma sessão à distância. Ao final da sessão, a diretora do longa-metragem “Pandemia do Sistema”, Naná Prudêncio conversou com o público.

O Condomínio João Cândido, do MTST, foi onde aconteceu a primeira sessão do CineB Solar na Janela

Moradores do condomínio João Cândido, na cidade de Taboão da Serra, Grande São Paulo, estavam ansiosos com a novidade, assim como toda a produção do CineB Solar, que estreava, depois de 13 anos de projeto, uma nova modalidade de exibição de cinema: para que as pessoas assistam o filme da janela de seus apartamentos.

O CineB Solar na Janela foi uma forma de retomar o projeto. Depois de mais de cinco meses sem sessão presencial por conta dos cuidados sanitários, e um adiamento por conta do tempo ruim e do frio, finalmente o projeto CineB Solar voltou a fazer o que mais gosta: levar o cinema brasileiro para as pessoas, sobretudo àquelas com dificuldade de acesso à produção brasileira.

O público recebeu os saquinhos com pipoca para estourar em casa

Foi um final de sábado bonito e de sol, mesmo com a brisa de fim de inverno mantendo a temperatura abaixo dos 20 graus. Mas desta vez tudo correu perfeitamente bem. O CineB Solar na Janela chegou bem no final da tarde ao condomínio, inaugurado em 2014 depois de uma grande mobilização do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). São 192 moradias, do Programa Minha Casa, Minha Vida na modalidade Entidades – projetado e gerido por movimentos sociais [saiba mais aqui].

Logo que a van do projeto, chegou ao condomínio, os técnicos abriram o telão de 200 polegadas em meio aos prédios enquanto a produção organizava a distribuição para os moradores do condomínio um kit com saquinho de milho e caixinhas de pipoca padronizada, para que cada família estoure a pipoca de suas casas e coma assistindo o filme na sua janela.

Muitos adoraram a ideia e o cheiro de pipoca voltou a aparecer anunciando que mais uma sessão do CineB Solar iria começar. Para respeitar os protocolos de segurança sanitária que pedem para evitar aglomerações, até o final da epidemia o projeto não vai mais levar nas sessões o seu Antonio, o pipoqueiro do CineB Solar, mas a pipoca está garantida.

A diretora Naná Prudêncio conversou com os moradores, que elogiaram muito o filme

O filme exibido foi “Pandemia do Sistema – O retrato da desigualdade na cidade mais rica do Brasil”, de Naná Prudêncio. O longa-metragem documentou a mobilização de moradores e moradoras para ajudar vizinhos e vizinhas durante o período de quarentena em regiões como Sapopemba, Heliópolis, Brasilândia, Capão Redondo, Cidade Ademar, Pedreira e o município de Taboão da Serra. Na capital mais rica do país, os índices de mortes por Covid-19 se mostraram até 10 vezes maiores nas periferias e nos bairros com maioria negra. O filme constata que o vírus não foi a única causa das mortes e que a desigualdade é a epidemia mais antiga, grave e crônica na história brasileira. Em primeira pessoa, Pandemia do Sistema denuncia as ausências do estado e confirma que nos lugares mais pretos e pobres ‘Nóis só tem nóis’.

A diretora Naná Prudêncio, moradora de Taboão da Serra, conversou com os moradores e recebeu uma salva de palmas pelas pessoas que acompanharam o filme da janela de suas casas. Taboão da Serra está colado na capital, em regiões como Capão Redondo, Campo Limpo, Jardim Jaqueline, periferias extremas e complexas. Aqui a gente passa por várias pandemias que não são vistas, e é isso que o filme retrata”, explica, dizendo que foi uma honra receber o convite de ter um filme exibido pelo projeto e por participar de uma sessão. “Importante passar um pouco da nossa ideologia e mostrar que tem gente de Taboão da Serra que está preocupada com a situação das pessoas, pobres, negras, da periferia. A gente só precisa de uma oportunidade para mostrar nosso trabalho. Agradeço ao CINEB e ao Sindicato [dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região]”, finaliza.

O coordenador do CineB Solar, Cidálio Vieira Santos, com a síndica Ana

Grajaú
Ao final do debate, o coordenador do CineB Solar, Cidálio Vieira Santos, organizou um sorteio de brindes para os moradores que acompanharam toda a sessão e lembrou que outra sessão do CineB Solar nas Janelas está marcada para o próximo dia 12 de setembro, no Condomínio Residencial Quito, no Jardim Belcito, região do Grajaú, na Zona Sul de São Paulo. “Foi uma experiência que deu certo. Nossa principal missão é levar o cinema brasileiro e a cultura para as pessoas, tenho certeza que elas gostaram. Vencemos mais um desafio e vamos retomando aos poucos a rotina, torcendo para que rapidamente possamos voltar a reunir as pessoas em uma sessão de cinema ao ar livre”, torce. Para setembro, o projeto vem preparando sessões do CineB On-Line, que serão transmitidas por videoconferência, e sessões do CineB Solar Autorama, que são sessões que são assistidas dentro dos veículos, em um estacionamento.

O projeto agradece o Condomínio João Cândido que possibilitou a realização da sessão e a divulgação dos sites de notícias Rede Brasil Atual, Taboão em Foco e Jornal na Net.

Sobre o CineB Solar
Criado em 2007, o CineB passou a se chamar CineB Solar em 2018, quando passou a circular com uma van que gera, através de placas solares, a própria energia consumida no evento. Já atingiu um público superior a 70 mil espectadores em mais de 550 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. A iniciativa busca democratizar o acesso ao cinema nacional e divulgar os filmes produzidos no Brasil. Já foram exibidos na tela do CineB mais de 130 longas-metragens e 80 curtas-metragens, além da realização de pré-estreias exclusivas.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.