Retrospectiva CineB Solar 2020

Em ano de pandemia, CineB inova na exibição e em ações solidárias. Projeto que leva cinema nacional às periferias mantém projeções com distanciamento social e ainda ajuda com distribuição de cestas básicas a famílias carentes.

O ano de 2020 foi difícil, mas a necessidade de isolamento social imposta pela pandemia de coronavírus não interrompeu as ações do CineB Solar, projeto que o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região desenvolve em parceria com a Brazucah Produções, e que leva o cinema nacional às periferias da Grande São Paulo, apostando na cultura como promotora da cidadania.

“Fomos desafiados a inovar, a reinventar e mais do que nunca, a cuidar do próximo. E foram esses nossos grandes aprendizados no CineB Solar este ano”, diz o coordenador do projeto, Cidálio Santos.

Ele conta que logo no início da pandemia no Brasil, o tom foi de solidariedade: o Instituto Votorantim, por conta da parceria com projetos que desenvolve com a Brazucah Produções, entrou em contato com a produtora que indicou comunidades onde o CineB Solar atua, para serem beneficiadas com doações de cestas básicas e kits de higiene. “Com isso conseguimos apoiar a Ong Juntos, na zona leste, que recebeu 200 cestas básicas, e a entidade Centro Social Santo Dias, na zona oeste, que recebeu 200 cestas básicas e 200 kits de itens de higiene”, conta.

Criatividade nas exibições

Neste processo de reinvenções, o CineB Solar criou três propostas para levar cinema para as comunidades mesmo durante a crise sanitária: o CineB Solar na Janela, CineB Autorama e CineB on-line. Em todos os circuitos foram exibidos filmes com temas sobre a pandemia, igualdade racial e direitos humanos. Sempre respeitando os protocolos de distanciamento, oferecendo lazer e cultura para moradores das periferias e bancários.

CineB Solar na Janela

Famílias da janela de suas casas assistem à exibição do CineB Solar com isolamento social necessário devido à pandemia 

 

No CineB Solar na Janela, o projeto levou cinema para conjuntos habitacionais em parceria com os movimentos de moradia. Mais de 630 famílias tiveram a oportunidade de assistir filmes pelas janelas dos seus apartamentos.

“Por conta dos protocolos sanitários de combate à pandemia, mas ainda assim tentando manter o estilo de cinema, o projeto distribuiu saquinhos com milho e caixinhas de pipoca padronizados com a logo do CineB Solar, para que as famílias estourassem a pipoca em suas casas e comessem assistindo ao filme nas suas janelas”, conta Cidálio.

CineB Autorama

No lugar dos alto-falantes, o som foi transmitido pelas ondas de rádio FM e captadas pelo celular ou rádio. “Tivemos ainda uma sessão especial em frente ao campo de futebol na Zona Sul de São Paulo e as pessoas assistiram das suas casas. Nesse caso participaram cerca de 150 famílias”, diz o coordenador

No CineB Autorama, durante três dias no Espaço Confinado da Mooca, mais de 400 pessoas participaram dessas sessões de cinema estilo drive in. Foram exibidos vários filmes importantes do Cinema brasileiro e duas pré estreias, que foram “Espetaculares” e “Ventos que sopram”, com depoimento exclusivo da cantora Gaby Amarantos. O público acompanhou aos filmes de dentro dos seus carros, e desta vez, a pipoca também foi entregue carro a carro.

CineB online

Já na versão, CineB on-line, o projeto criou um espaço de reflexão e discussão com realizadores, representantes do Sindicato dos Bancários de São Paulo, estudantes de escolas públicas e universidades.

Ao todo, foram produzidas quatro lives, com exibição de curtas e debates com participação dos diretores dos filmes, sempre com temas atuais. Foram abordados temas de direitos humanos e questões étnicas.

CineB Talentos

No mês de outubro, para comemorar o mês da criança, foi criado o CineB Talentos, com o objetivo de instituir um espaço para as expressões artísticas das crianças.

“Recebemos diversos vídeos de entidades sociais, parceiras do CineB Solar, com crianças talentosas e editamos um filme que mescla as apresentações artísticas com pequenos vídeos dos ODS (o que é????), a fim de refletir sobre o futuro do nosso planeta no olhar infantil, que está disponível em nossas plataformas das redes sociais”, diz Cidálio.

Olhar crítico sobre o sistema bancário

O coordenador do projeto informa ainda que o CineB Solar não se furtou a denunciar a ganância do setor bancário, com sua política cruel de demissões em plena pandemia.

“Foram exibidos vídeos do Sindicato dos Bancários contra demissões e fizemos a divulgação no telão antes do início das sessões. A campanha da utilização das máscaras também foi exibida”, informa.

Ele destaca ainda que foi também um ano que o projeto foi destaque na imprensa, no portal r7 https://virtz.r7.com/projeto-transforma-comunidades-em-cinema-ao-ar-livre-19102020, jornais de bairro e no site do Sindicato dos Bancários de São Paulo.

“Foi sim um ano muito difícil. Mas do sofrimento guardamos a certeza de que sobrevivemos. Dos erros, guardamos a aprendizagem. E das dificuldades, guardamos o momento da superação. Hoje somos mais experientes, mais fortes e mais sábios”, conclui.

Projeto tem 13 anos

O projeto foi criado em 2007, então chamado apenas CineB – passou a se chamar CineB Solar em 2018, quando passou a utilizar a energia solar, mais ecológica, para as exibições noturnas. O projeto faz parte das ações do Sindicato Cidadão, que atua para além da categoria bancária, com projetos de inclusão e cidadania. Desde então, já realizou mais de 577 sessões gratuitas e atingiu um público superior a 74 mil pessoas, levando cinema de qualidade a crianças, jovens, homens, mulheres e idosos que, muitas vezes, nunca tinham tido a experiência do cinema na telona.

Saiba mais sobre o projeto no: http://cineb.spbancarios.com.br/

 

2 comments

  1. Projeto maravilhoso e essencial para a cultura de nosso país. Sem falar na importância de chegar até aos que não têm acesso a cultura e diversão, nesse tempo de pandemia. Parabéns!

  2. Filme incrível ideia legal condomínios deveria fazer esses lazer para as famílias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.