Iberê Carvalho e Valter Rege debatem seus filmes e trajetórias em encontros com educadores

Os cineastas participaram de exibições promovidas pelo projeto CineB on-line e puderam conversar com os participantes sobre os filmes apresentados

 

Texto: Eduardo Viné Boldt

 

O CineB on-line exibiu dois curtas na última semana com a participação de seus realizadores. Na quinta (20) foi exibido o filme “Procura-se”, com a presença do diretor Iberê Carvalho. A gerente da Sociedade Santos Mártires, Cleide de Oliveira Gonçalves Ferreira, participou da exibição junto com os alunos atendidos pelo centro para crianças e adolescentes (CCA) Nossa Senhora de Fátima, atividade desenvolvida pela entidade. O encontro pode ser visto por aqui.

Na sexta (21) foi exibido “Preto no Branco”, de Valter Rege, com a presença das técnicas do serviço de medida socioeducativa em meio aberto e de Elizabete Schulz, gestora do serviço de medidas socioeducativas do Centro Social Santo Dias. Essa apresentação também pode ser acompanhada por aqui.

 

Procura-se

“Procura-se” é o quinto trabalho do diretor brasiliense. O filme tem uma trajetória de sucesso em exibições no Cinesolar e do CineB Solar. Lançado em 2010, o curta acompanha a busca de Camile (Bianca Terraza) para encontrar o seu cachorrinho perdido. Uma procura com doses de suspense e aventura infanto-juvenil.

 

foto: reprodução

 

Em conversa com os participantes, o diretor contou um pouco do desafio de produzir uma obra com a presença de crianças e animais no set: “Foi um dos filmes mais difíceis que eu fiz na vida. Eu já tinha feito algumas publicidades com crianças, mas esse filme foi um outro processo” conta.

A seleção do elenco mirim foi feita através de uma oficina realizada em escolas públicas e durou cerca de 40 dias para a escolha do elenco infantil. A direção dos atores também teve que ser adaptada. “Durante esse processo o meu principal desafio foi estabelecer uma relação de autoridade e afeto. Eu tinha que chegar em um nível quase familiar, quase que um ‘tio’. Eu tinha que chegar em um nível que, se eu tivesse que dizer que não estava bom, elas entendessem que eu não estava recriminando-as. A gente estava fazendo um trabalho, estava falando daquele momento ali” conclui.

O curta está disponível no Youtube e pode ser acessado aqui.

 

Preto no Branco

“Preto no Branco” é o filme de estreia do diretor Valter Rege. Lançado em 2016. A trama discute o racismo presente na sociedade brasileira através de uma abordagem policial. O jovem Roberto Carlos (Marcos Oliveira) é acusado de ter roubado a bolsa Isabella (Maria Bopp) na frente de um shopping. O rapaz então é levado à delegacia por policiais que logo o acusa de ser culpado pelo crime, pré-julgando o rapaz apenas por suas roupas e sua cor.

 

foto: reprodução

 

O diretor buscou discutir em seu filme diversos aspectos do racismo encontrados no dia a dia da população pobre e preta do Brasil. “Na hora que eu estava escrevendo eu queria fazer essas provocações, sabe? Do preto que não tem noção de negritude… que assume um lugar e aí depois ‘dane-se’ o outro… O fato de Isabela não ligar para aquele corpo que está ali… Na verdade nós vivemos em um país da falsa democracia racial. As pessoas dizem que não são racistas, mas no ápice, elas vão lá e solta…” aponta o diretor.

O filme foi produzido graças ao edital “Curta afirmativo 2014: protagonismo de cineastas afro-brasileiros na produção audiovisual”. O curta-metragem foi selecionado a diversos festivais, entre eles o Toronto Black Film Festival (2018), no Canadá. Sem apoio financeiro, o cineasta viabilizou sua participação no evento através de uma vaquinha virtual.

Valter expôs as dificuldades que jovens pretos tem para produzirem filmes, mas apontou para a possibilidade de realizar suas obras através das redes sociais e os dispositivos móveis. “A tecnologia, o wi-fi, o 4g salvou a galera, porque é a primeira vez que pessoas pobres, pessoas pretas produzem audiovisual. Nem na época do cinema novo, do cinema da boca do lixo, quando as pessoas falavam que era mais acessível, não era a gente que contava as nossas histórias. O cinema sempre foi muito caro. Então por mais que você produzisse na boca do lixo, você tinha que revelar, era caro, não era acessível. Hoje é a primeira vez que estamos produzindo audiovisual e a galera tem que abraçar a internet” afirma.

O diretor também tem uma presença nas redes sociais através do seu canal do youtube. Seu filme está disponível e você pode acompanhar o filme aqui.

 

Sobre o CineB Solar
Criado em 2007 pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região, o CineB passou a se chamar CineB Solar em 2018, quando passou a circular com uma van que gera, através de placas solares, a própria energia consumida no evento. Já atingiu um público superior a 75 mil espectadores, 160 bairros percorridos, em mais de 580 sessões gratuitas realizadas em comunidades e universidades de São Paulo. Nesse momento de isolamento, para evitar aglomerações, se reinventaram e prepararam novos projetos: CineB on-line, CineB Solar na Janela e CineB Autorama, ações para que todos possam ficar em casa e se divertir com uma sessão de cinema.

2 comments

  1. Tivemos a oportunidade de assistir e discutir o Filme Preto no Branco junto com o diretor Valter Rege. Essa troca nos possibilitou ver a trama por outros olhares, por uma visão que descola de todos os estereótipos e estigmas reproduzidos pela sociedade e pelos canais de comunicação. Ótimo filme e ótima troca de saberes que nos leva a condução de um pensamento crítico.

  2. Nossa,foi muito bom.As crianças e adolescentes adoraram,participaram muito bem.Agradecemos imensamente o convite,Iberê uma pessoa maravilhosa,e estamos numa parceria que dá certo .Conhecer pessoas novas mesmo que a distância é muito bom também .

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.