JARDIM ARIZI

Pela primeira vez o Cine B chega ao Jardim Arizi, zona leste de São Paulo, para exibir o filme O contador de histórias, de Luiz Villaça, na ONG JUNTOS 2. Em 2010 o Cine B fez duas exibições em outra sede da ONG, a JUNTOS 4, no Jardim Brasília, exibindo os filmes O casamento de Romeu e Julieta, de Bruno Barreto e Eu, tu, eles, de Andrucha Waddington.

Mais de 170 espectadores presentes do Cine B no Jardim Arizi
Mais de 170 espectadores presentes do Cine B no Jardim Arizi

“Conseguimos alcançar nosso objetivo de unir num mesmo evento os participantes da JUNTOS 1, 2, 3 e 4” diz o coordenador da entidade, Humberto Canavezi.

“O Alex [Minduim] não se cansou de nos cobrar para ter esta exibição e é com grande satisfação que agora voltamos para mostrar mais cinema brasileiro de qualidade para todos vocês”, diz o coordenador do Cine B, Cidálio Vieira Santos.

Alex Minduim, Humberto Canavezi coordenador da JUNTOS e seu assistente Douglas Carvalho do Nascimento
Alex Minduim, Humberto Canavezi coordenador da JUNTOS e seu assistente Douglas Carvalho do Nascimento

DAVA UM FILME

A primeira espectadora a chegar na exibição foi Kelly Cristina Cavalcanti, que há 26 anos mora em São Paulo. Ela é mãe de quatro simpáticas crianças. Sua história de vida começa na cidade de Aripuana, interior do Mato Grosso, última cidade da fronteira entre o Ace e Amazonas. Ela nasceu na tribo indígena Bororo e até os 8 anos viveu com seus 21 irmãos na tribo. Até que sua vida foi transformada quando conheceu a paulista, enfermeira da FUNAI, Vera Lucia Cavalcanti.

Kelly com os filhos Victor Mateus, 14 e o amigo Samuel Henique Vargas, 13, Lucius Viniciu, 10, Rayane 7 e Manuelli de apenas 6 meses
Kelly com os filhos Victor Mateus, 14 e o amigo Samuel Henique Vargas, 13, Lucius Viniciu, 10, Rayane 7 e Manuelli de apenas 6 meses

“Ela me adotou e no começo continuei a viver em Aripuana, mas alguns anos depois vim com ela para São Paulo, onde estou há 26 anos”, diz Kelly. “Hoje a cidade que nasci está um pouco melhor, porque o governo está incentivando o turismo local, mas na época lá não tinha nada, minha mãe adotiva ajudou muito gente por lá, ela foi a primeira professora da cidade”, diz.

Kelly conta que na cidade é comum os índios mais velhos aparecerm caracterizados, com poucas roupas, para vender os produtos que fazem. O estilo de vida selvagem, segunda ela, já não faz muito bem aos índios. “De 21 irmãos, hoje só 7 ainda estão vivos, os outros morreram de doenças do mato, tipo barriga dágua”, diz Kelly. “Com o investimento no turismo, a FUNAI vem trazendo os jovens índios para o ambiente urbano, capacitando-os para trabalhar nas pousadas e hotéis da cidade, o que ajuda muito a população”.

E sala de cinema? Tem por lá? “Uma vez a prefeitura levu um telão e exibiu um filme no ginásio, mas o projeto não passou dessa primeira exibição”, diz Kelly. Segundo ela a cidade hoje tem aproximadamente 2.500 habitantes. “Lá tem uma rua principal, um mercado, um açougue, uma danceteria, e um botijão de gás lá custa 150 reais”.

CLICKS

Na abertura da exibição Maria de Lourdes, diretora da JUNTOS 2, Humbeto Canavezi, coordenador da JUNTOS, Cidálio Vieira Santos, coordenador do Cine B, Alex Minduim, assessor do deputado estadual Luiz Cláudio Marcolino, Rogério Jacinto, assistente coordenação da JUNTOS 1, Daniel Frutuoso, coordenador do CJ, Cristiane da Silva Souza, gerente de serviços do Centro da Criança e Adolescente JUNTOS 3, e Telma Cristina Negesai de Aguiar, gerente do CCA JUNTOS 4
Na abertura da exibição Maria de Lourdes, diretora da JUNTOS 2, Humbeto Canavezi, coordenador da JUNTOS, Cidálio Vieira Santos, coordenador do Cine B, Alex Minduim, assessor do deputado estadual Luiz Cláudio Marcolino, Rogério Jacinto, assistente coordenação da JUNTOS 1, Daniel Frutuoso, coordenador do CJ, Cristiane da Silva Souza, gerente de serviços do Centro da Criança e Adolescente JUNTOS 3, e Telma Cristina Negesai de Aguiar, gerente do CCA JUNTOS 4
O bancário do Bradesco Alex Wallace Moreira Soares levou no Cine B seus sobrinhos Tauane Anaia Soares, 9, Leandro Henrique Lirola, 10 e Talisson Soares, 7
"Como gosto muito de filmes de ação, assumo que muitas vezes escolho os filmes estrangeiros quando vou ao cinema, mas os filmes brasileiros estão melhorando", diz o bancário do Bradesco Alex Wallace Moreira Soares levou no Cine B seus sobrinhos Tauane Anaia Soares, 9, Leandro Henrique Lirola, 10 e Talisson Soares, 7
Era tanta gente que as crianças tiveram que sentar no chão
Era tanta gente que as crianças tiveram que sentar no chão
Grupo JUNTOS com Alegria
Grupo JUNTOS com Alegria
A pipoca sempre quentinha sendo servida ao publico
A pipoca sempre quentinha sendo servida ao publico
Cine B na JUNTOS 2, no Jardim Arizi
Cine B na JUNTOS 2, no Jardim Arizi
A garotada deu um jeitinho de preencher as pesquisas e concorrer aos prêmios
A garotada deu um jeitinho de preencher as pesquisas e concorrer aos prêmios
Alex Minduim e Daniel Frutuoso fazem o sorteio das pesquisas com Cidálio Vieira Santos
Alex Minduim e Daniel Frutuoso fazem o sorteio das pesquisas com Cidálio Vieira Santos
Os sortudos desta exibição que levaram para casa camisetas do Cine B e agendas do Sindicato dos Bancários
Os sortudos desta exibição que levaram para casa camisetas do Cine B e agendas do Sindicato dos Bancários


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *